17 de enero de 2010



DECLARACIÓN...!!!


  



Hoy, DECLARO, que La Felicidad... no es una Utopía...!

Y me Declaro Inocente por no haberlo sabido antes...!

A la vez, me declaro Culpable de no haberlo intentado descubrir antes...! 

Y... Declaro... que, hoy, haré lo posible, si me cabe condena alguna, redimir mis culpas...

Tratando de Ser... FELIZ...!






Declaração...!



Hoje, DECLARO, que a Felicidade... não é uma Utopia...! 

E Declaro-me Inocente por não tê-lo sabido antes...! 

Ao mesmo tempo, declaro-me Culpado de não ter tentado descobri-lo antes...! 

E... Declaro... que, hoje, farei o possível, se me cabe condenação alguma, redimir as minhas culpas...

Tratando de Ser... FELIZ...!



3 comentarios:

  1. Eu declaro também rs.
    Eu só quero ser feliz.
    Um beijo,estou te seguindo.

    ResponderEliminar
  2. Curi,
    Gostei de visitar o teu espaço, a blogosfera sempre aproximando as pessoas, às vezes tão distantes, confirmando o que Marshall McLuhan nos anos 60 já preconizava: a Aldeia Global. O progresso tecnológico proporcionando a intercomunicação direta com qualquer pessoa do planeta, o mundo ali na esquina de casa... As distâncias encurtadas, a possibilidade da emergência de uma consciência global que solidarize as pessoas de regiões diferentes, numa dimensão que suplantadas as questões étnicas e religiosas, todos percebamos que o planeta Terra é a superfície e habitat da nossa “Aldeia Global”, por isso, economia e ecologia lado-a-lado, o que acontece na China repercute aqui na Amazônia... Todos no mesmo barco.
    Para temperar minhas palavras, antevendo o espetáculo do novo, esse mundo, essa cidade virtual que assusta, mas que insiste em pulsar diante de nós, ainda que a ansiedade nos arrebate diante desse admirável mundo novo, como Drummond, vou tateando o novo, assustado, às vezes, mas sem esconder que ao aproximar-me... quero me lançar impudoradamente aos seus encantos, leia Drummond abaixo. Valeu!
    “Vejo-te no escuro, cidade enigmática.
    Chamas com urgência, estou paralisado.
    De ti para mim, apelos,
    de mim para ti, silêncio.
    Mas no escuro nos visitamos. “(Carlos Drummond de Andrade)
    Visite o meu espaço virtual e divulgue:
    www.blogdopedronelito.blogspot.com
    www.citadinokane.blogspot.com
    Abraços,
    Pedro

    ResponderEliminar